sábado, 2 de fevereiro de 2008

Aracaju possui um déficit de 20 mil árvores.

"Goiânia tem 94 m² de área verde por habitante um recorde nacional"


Clique na foto para ver em tamanho real.


A estimativa é da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) que calcula que a capital sergipana possui cerca de 40 mil unidades quando o mínimo seria 60 mil. Os cálculos são baseados na taxa ideal recomendada pela Organização Mundial de Saúde, que indica que uma cidade pode ser considerada arborizada quando sua média é de 12 metros quadrados de área verde por habitante. Gilson Ramos, diretor de controle operacional da Emsurb acrescenta que para atingir o ideal "é preciso aumentar 50 % de arvores per capita da cidade".

Com objetivo de expandir a área arborizada em Aracaju, a prefeitura está executando um projeto para serem plantadas 20 mil árvores nativas de porte médio em praças e canteiros da cidade, nos próximos dois anos. O projeto que está estimado em R$ 3 milhões, de acordo com o prefeito Edvaldo Nogueira, tem a intenção de propiciar para os aracajuanos qualidade vida e conservação do Meio Ambiente. "O projeto de arborização que será implementado pela Prefeitura tem dois objetivos: o primeiro é melhorar a qualidade de vida da população de Aracaju, tornando a cidade mais bonita e agradável; o segundo é melhorar o meio ambiente, ajudando, a médio e longo prazo, a frear o aquecimento global e a destruição da camada de ozônio", destaca, ressaltando que a preocupação ambiental é uma questão de preservação da vida na Terra.

Além do déficit na vegetação, Gilson Ramos destaca que as árvores presentes na paisagem da cidade não são todas nativas. "Algumas espécies foram introduzidas na região sem nenhum controle ou estudo". O técnico ressalta que o último plantio planejado foi feito há vinte anos e só em 2005, no aniversario da cidade, o plantio foi retomado. "A prefeitura iniciou o trabalho plantando 150 mudas. Foi um ato simbólico. De lá para cá passamos a intensificar este trabalho", diz.

Neste contexto, um dos desafios enfrentados pela administração municipal é a falta de colaboração da própria população. "A cidade cobra mas não cuida. Muitos vândalos destroem as mudas ou roubam. Para contribuir com este projeto, a gente espera que a população colabore e denuncie".


Zonas mais áridas

Quem caminha pelo Parque da cidade, em um dia ensolarado, percebe que, além de o lugar ser sombreado, sua temperatura é mais baixa do que a das proximidades. A mesma sensação de frescor pode ser notada quando, em um dia de sol, uma pessoa sai da desarborizada avenida Acrisio Cruz e entra no Parque da sementeira. O exemplo dado é explicado por Gilson Ramos. "O bairro Jardins é o mais árido bairro de Aracaju", afirma.

Ramos explica que com a valorização imobiliária da região, os espaços para área verde foram ficando cada vez mais escassos. "Hoje, aquele é um local onde praticamente não possui área verde", constata Ramos. A constatação foi decisiva para que a Prefeitura plantasse 2.500 árvores no Parque da Sementeira. "O projeto do Parque da Sementeira surgiu para suprir esta carência". De acordo com Ramos, por outro lado, o Parque da cidade é o pulmão da cidade. "Aquela é sem dúvida a área que abriga a maior concentração de arvores e vegetações variadas da cidade", afirma.


Benefícios

Além de contribuir na melhoria da climatização (com alterações de até 4°C), um local rico em vegetação proporciona outras importantes vantagens: a infiltração de águas pluviais e a constante renovação e purificação do ar. Isso, sem contar com a redução da poluição sonora e o aumento da durabilidade do asfalto, reduzindo a manutenção em 15%, por não ficarem diretamente expostos ao sol.

O engenheiro ambiental José Antônio França, vai além e diz, ainda, que a população de cidades arborizadas é mais tranqüila e de bem com a vida. "Há diversos estudos que comprovam que a cor verde é relaxante, tanto que o índice de violência em locais mais arborizados é menor."

Porém, o projeto de arborização de Aracaju, durante décadas, não foi adequado. Basta ver que, grande parte das árvores da cidade são ingazeiros, uma espécie que causa sérios problemas nas calçadas, fiações e tubulações. Por isso, e por muitas pessoas desconhecerem as vantagens que os vegetais proporcionam ao meio ambiente, em Aracaju as plantas ficaram estigmatizadas como destruidoras de calçada.

De acordo com Gilson Ramos, apesar de muita gente ainda não ver as árvores com bons olhos, as pessoas estão mais conscientes e adeptas ao uso das plantas no paisagismo urbano.

"O problema é que muitos querem fazer as coisas por conta própria. Quando uma pessoa deseja plantar, remover ou substituir uma árvore em sua calçada, é aconselhável que a Emsurb seja comunicada. "Temos especialistas para saber qual a melhor espécie para cada caso. Além disso, sempre que uma árvore for retirada de um local, outra será reposta ao lado, ou em um lugar da cidade que necessite de arborização. Agora, se uma árvore for removida sem que a Prefeitura tenha conhecimento, infelizmente ela não será reposta", salienta.


Cuidados

Antes de se plantar um vegetal, as condições do local devem ser estudadas para saber qual é a espécie mais apropriada. "Uma árvore como o ingazeiro e o chapéu-de-sol, altas e de copas fartas, não devem ser plantadas em uma calçada estreita, mas se adequariam muito bem em uma praça com bastante espaço para expandirem suas raízes", exemplifica Rodrigues Correa.

Ele diz, ainda, que uma das favoritas das pessoas é o fícus, conhecida pelas possibilidades de poda da copa. "Acham bonito ter uma árvore com o topo redondo, mas o fícus cresce muito e precisa de espaço para espalhar a raiz. E, conforme a planta se desenvolve, isso poderá virar um grande problema", completa.


Motivador de vendas

O verde vende. Tanto que os novos lançamentos imobiliários de Aracaju apelam em suas publicidades para idéia de que o comprador viverá próximo à natureza. Basta reparar. Esta tendência vem da capital, onde os novos condomínios apresentam grandes áreas verdes para o lazer.

"As pessoas precisam estar em contato com a natureza. Por isso, em Aracaju, vemos cada vez mais propagandas de conjuntos residenciais com áreas verdes. Por um lado isso é bom, pois educa e conscientiza a sociedade quanto à importância de se viver mais próximo à natureza. Porém, os novos empreendimentos da cidade não têm tanto espaço para desenvolver grandes áreas verdes", salienta.


Zonas de plantio planejado

A avenida Heráclito Rollemberg está recebendo novas mudas em seu canteiro central, ampliando a arborização já existente no local. O plantio está sendo executado pela Prefeitura de Aracaju, por meio a da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), dentro do projeto integrado de construção da ciclovia que liga o São Conrado à avenida Tancredo Neves, no Distrito Industrial de Aracaju. Na primeira etapa do plantio, foram plantadas 90 árvores da espécie Caraibeiras. Na segunda fase, foram plantadas outras 40 mudas de coqueiros, juntando-se às já existentes. De acordo com o gerente de Áreas Verdes da Emsurb, Francisco Ney Maia, as árvores caraibeiras que foram plantadas inicialmente ficaram com uma distância considerável entre uma e outra para que fosse permitida a introdução de outras mudas para compor o projeto paisagístico. "A distância entre uma árvore e outra nos possibilitou realizar o segundo plantio com coqueiros para deixar o canteiro mais arborizado. Nosso intuito foi o de interagir com o projeto de ciclovias que a SMTT está concluindo na Heráclito Rollemberg. Na verdade, o projeto é integrado, fruto de uma preocupação da administração municipal em executar obras com seus respectivos complementos", relata. Segundo, a escolha da espécie da muda na segunda etapa do plantio se deu por se tratar de uma avenida onde já existia o paisagismo utilizando coqueiros. "Como havia outros pés de coqueiros, idealizamos um projeto paisagístico que complementasse o já existente", declara. Após executada a arborização na avenida Heráclito Rollemberg, a equipe de Áreas Verdes da Emsurb segue a avenida Tancredo Neves. "Como a ciclovia que percorre a Heráclito Rollemberg continua na avenida Tancredo Neves, a equipe da Emsurb seguirá com o projeto paisagístico para que a toda a ciclovia seja arborizada", explica Francisco Ney

www.jornaldacidade.net/noticia.php?id=83517

Um comentário:

maria eduarda disse...

esse texto esta muito otima que ler vai gosta.