domingo, 20 de janeiro de 2008

PINHÃO MANSO


Pinhão Manso consorciado com Capim "Fazenda em Ribas com 2 mil ha Mato Grosso do Sul"













Mapa autoriza a produção e venda das sementes de pinhão manso no País.
A produção, comercialização de sementes ou de mudas de pinhão manso (Jatropha curcas L.) foram regulamentadas no País.
Segundo a Instrução Normativa nº4, de 14/01/2008, editada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e publicada no diário Oficial da União desta terça-feira (15), a cultivar já pode ser inscrita no Registro Nacional de Cultivares (RNC), sem a exigência de mantenedor.


É uma cultura existente de forma espontânea em áreas de solos pouco férteis e de clima desfavorável à maioria das culturas tradicionais, o Pinhão Manso é hoje considerada uma das mais promissoras plantas oleaginosas em todas as regiões do Brasil para produzir muito Biodiesel durante mais de 50 anos e ajudar e muito no reflorestamento da nossa Terra, melhorando solos degradados e o clima, enfim fazendo com que nossa "casa" nos proporcione melhores condições de vida.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO PINHÃO MANSO PARA OBTENÇÃO DE BIODIESEL
Veja abaixo, e você terá 22 excelentes motivos para começar o seu plantio agora.

01 - Planta altamente adaptável, com grande habilidade para crescer em locais pobres, secos.
02 - Pode ser cultivada desde o nível do mar até em altitudes superiores a 1000 m, adaptando-se tanto nos terrenos de encosta, áridos, como em solos úmidos.
03 - Não é atacada (até o presente) por nenhuma praga. Planta de fácil propagação e plantio.
04 - As doenças e os insetos não a atacam, pois ela segrega um leite que queima.
05 - Pode crescer e sobreviver com poucos cuidados em terras de pouco fertilidade e produz bem.
06 - Aceita todo o tipo de solo, arenoso, calcário, salino e pedregoso e solos de baixa fertilidade.
07 - Se desenvolve em áreas áridas e semi-áridas, de baixa precipitação, 200 mm/ano como mínimo e altas precipitações como 900/1.200 mm/ano.Suportou com sucesso secas na Índia.
08 - Também, plantada com maior espaçamento, aceita o cultivo intermediário de outros vegetais como feijão etc. e aceita a presença de gado que não causa mal as plantas de Pinhão Manso.
09 - Cresce rápido (1a. colheita aos 12 meses ) e de vida longa, produz por mais de 50 anos.
10 - Sementes não comestíveis (tóxica), nem levadas por pássaros ou animais.
11 - Biodiesel produzido foi testado por Daimler Chrysler com ótimos resultados.
12 - Controle de erosão (redução da erosão do vento ou da água). Melhoria da fertilidade do solo.
13 - Aumenta a renda dos produtores rurais.Produção de energia nas áreas rurais.
14 - Suas folhas podem alimentar a lagarta produtora do fio de seda, servir para a elaboração de diversos medicamentos e suas flores garantem uma boa produção de mel.
15 - Ecologicamente correto, não usa agrotóxicos, ao menos por enquanto.
16 - As arvores alcançam a altura de 3 m em media o que faz com que a colheita seja muito fácil.
17 - A torta , pode ser utilizada como adubo orgânico e fertilizante, ou se desintoxicada, como excelente fonte de alimentação para animais.
18 - Portanto, em um projeto integrado com pequenos produtores, estes alem das sementes oleaginosas poderão cultivar suas culturas de sustento e se dedicar a outras atividades como criação de animais, produção de mel etc. Um projeto de alta abrangência social. A propagação pode ser feita por sementes ou estacas. Preferimos a produção por sementes e cultivadas sob sombrite em viveiro para posterior venda e distribuição aos produtores, assim teremos certeza de que o plantio será uniforme. A produção de mudas em viveiro permite um melhor controle, irrigação adequada e principalmente uma boa fonte de renda na venda de mudas para plantio.
19 - Em relação a mamona, o pinhão manso leva vantagens na qualidade do produto. "O óleo de pinhão manso é menos viscoso, facilitando a produção de Biodiesel", esclareceu o cientista da Embrapa Marco Drumond. Além disso, a mamona cultivada comercialmente precisa ser replantada a cada dois anos enquanto o pinhão manso é uma planta perene, sem necessidade de replantio, alem do que a sua produção por Hectare ser em média 10 vezes superior a mamona.
20 - Alta produção por hectare. cerca de 6.000 a 8.000 quilos de semente com aproximadamente 2.500 a 3.500 litros de óleo e uma renda média anual aproximada de R$ 4.416,00 por ha.
21 - As nossas sementes e as plantas delas derivadas estão sendo pesquisadas pela UNESP - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Faculdade de Ciências Agronômicas - FCA Unesp Botucatu SP e também pela EMATER-RJ VALENÇA, e todo o resultado obtido, serão repassados aos nossos clientes/associados que adquirirem o Kit-Plante-Pinhão-Manso.
22 Você terá um PLANO DE NEGÓCIOS SOBRE BIODIESEL e que cujo valor de mercado está sendo vendido por cerca de R$ 400,00 por algumas empresas com o nome de BUSINESS PLAINS alem de mais 94 MANUAIS SOBRE A CULTURA DO PINHÃO, BIODIESEL, COOPERATIVAS e muito mais.
clique aqui para ver a relação completa dos arquivos que fazem parte do LINK-CD-BRINDE


ÓLEO DE PINHÃO MANSO EM MOTORES A DIESEL
O óleo do pinhão manso pode ser utilizado puro, nos motores diesel, basta instalar um kit fornecido pelo Fendel (custa R$ 500,00). Resolve todas as necessidades de energia para geradores (energia elétrica) e transportes. O resíduo produzido é um adubo de excelente qualidade, podendo ser aproveitado para produção de alimentos orgânicos. E, principalmente, é capaz de gerar renda substancial para a agricultura familiar. Entretanto, será necessário a formação de cooperativas ou associação de produtores, a fim de gerar produção em larga escala, para fins de comercialização da produção, tanto no mercado interno ou para exportação. A Europa precisará de 10 milhões de toneladas de óleo vegetal, em 2010, somente para suprir a exigencia mínima ajustada, visando redução dos índices de poluição. O Brasil apresenta as melhores condições para produzir o óleo vegetal e não pode perder a oportunidade.

Folha de S. Paulo de 01/02/07, tirada durante a inauguração da usina de Crateús da Brasil Ecodiesel. Para aqueles pouco familiarizados, a planta que o Presidente está segurando é o agora famoso, pinhão-manso (Jatropha curcas). O presidente há tempos vem aos poucos falando da planta, e hoje aparece no jornal de maior circulação do Brasil segurando o pinhão manso, e não mais a mamona.
Talvez o maior motivo pelo qual Lula está associando sua imagem ao pinhão manso é o fator social da planta. O pinhão manso não é uma cultura mecanizada e ao contrário da cana, precisa de mão de obra o ano inteiro. Isso geraria emprego fixo no campo, muitos empregos e muita renda para a agricultura familiar.
O pinhão manso pela sua eficiência e alta produtividade em larga escala e tambem por sua longevidade pode deixar um legado que nenhum presidente se arriscaria a deixar passar.


BIODIESEL - EXTRAÇÃO DO ÓLEO DA SEMENTE DO PINHÃO-MANSO
Ensaios feitos com o óleo extraído do pinhão-manso, comparando-o com o diesel, deram bons resultado, o ruído mais suave e a emissão de fumaça, semelhante. Considerou-se também possível o uso desse óleo não apenas como combustível, mas também na indústria de tintas e de vernizes.
Análises posteriores mostraram que o óleo de pinhão-manso tem 83,9% do poder calorífico do óleo diesel e usado como substituto do diesel, o consumo será 10,1% maior.Além disso, a torta que resta é um fertilizante rico em nitrogênio, potássio, fósforo e matéria orgânica. Desintoxicada, a torta pode também ser transformada em ração, como tem sido feito com a torta de mamona. E a casca dos pinhões pode ser usada como carvão vegetal e matéria-prima na fabricação de papel.
MAIS 100 VANTAGENS DA CULTURA DO PINHÃO MANSO
01- É uma planta perene.
02- Produz bem em terras menos férteis.
03- É uma planta socialmente correta.
04- É uma planta rústica.
05- Produz mudas com facilidade.
06- Tem manejo e tratos culturais simples.
07- Emprega mão de obra sem qualificação.
08- Gera empregos fixos no campo
09- Produz óleo combustível que substitui o caro diesel mineral.
10- A torta é um adubo rico em nitrogênio, fósforo e potássio.
11- A torta serve como substrato.
12- A torta decomposta em biodigestores produz gás gerando calor e energia elétrica.
13- Seu plantio recupera solos degradados.
14- Inicia a produção 120 dias após o plantio.
15- Poucas pragas atacam.
16- Colhem-se seus frutos por cerca de seis meses.
17- Sua colheita pode ser antecipada se houver irrigação das plantas no inicio da primavera.
18- Tem raízes profundas por isso à irrigação pode ser feita com intervalos entre 20 e 30 dias por gotejamento.
19- A partir do sexto mês de idade as plantas não são mais atacadas por formigas.
20- Pode ser plantada em consórcio com hortigranjeiros.
21- Pode ser plantada consorciada com seringueira.
22- Não há necessidade de derrubar todas as plantas nativas da área.
23- Sua produção não concorre com plantas destinadas à alimentação.
24- O preço do seu óleo ficará atrelado ao preço do petróleo.
25- Tem um crescimento rápido e vigoroso.
26- Produz mais em terras férteis.
27- É uma ótima fonte de renda para pequenas propriedades rurais.
28- Seu óleo pode ser usado como repelente de insetos em pomares.
29- O óleo pode ser usado para o combate à mosca do chifre.
30- Pode ser plantada em áreas onde a agricultura mecanizada é inviável.
31- Não precisa de máquinas para o seu cultivo.
32- Produz 5.000 quilos de grãos por hectare.
33- Produz 1.650 litros de óleo por hectare.
34- Produz 3.200 quilos de torta por hectare.
35- Seu óleo bruto tem um rendimento em éster superior a 94%.
36- Controla a erosão.
37- Evita a desertificação.
38- Tolera irrigação com água salobra.
39- Seu óleo pode ser usado para a fabricação de tintas e vernizes.
40- Seu óleo serve como remédio.
41- Mata a tiririca.
42- O gás produzido pela fermentação anaeróbica é fonte de calor
43- O gás metano gerado pela sua torta é combustível para motores que geram energia elétrica.
44- Seu óleo transformado em biodiesel polui 80% menos que o diesel.
45- O biodiesel do seu óleo não contém enxofre.
46- Seu biodiesel é ecologicamente correto.
47- Pode ser plantado pelo produtor sem afetar suas outras atividades.
48- É uma árvore de sombra, pode ser plantada no quintal.
49- Seqüestra cerca de 8 quilos de gás carbono por planta ano. No mercado a tonelada vale US$ 15,00
50- Podemos fazer sabão com seu óleo. 51- Seu óleo pode ser usado em lamparinas.
52- Em lamparinas seu óleo não faz fumaça.
53- Se plantada com espaçamento de 20 cm podemos fazer encerra de porcos.
54- Serve como quebra vento.
55- Podemos fazer divisões de pastos, substituindo a cerca de arame.
56- Os pássaros não comem suas sementes.
57- Os animais não comem suas sementes.
58- Pode ser plantado em consórcio com mamona.
59- Pode ser plantado em consórcio com leucena.
60- Pode ser plantada em consórcio com moringa.
61- Tira o mau olhado, por isto era plantado à esquerda na entrada de sua casa, segundo a crença popular.
62- Pode ser plantada em consórcio com sisal.
63- A casca das sementes serve como ração animal.
64- A casca das sementes pode ser queimada em caldeiras gerando calor.
65- O chá de suas folhas combate a malária.
66- Podem ser feitas mudas por estacas.
67- Dá frutos no broto do ano.
68- Aceita muito bem a poda.
69- Floresce entre três e cinco vezes por ano.
70- Ocorre uma bifurcação de brotos após a florada.
71- Suas flores dão um excelente mel e podem ser instalados apiários próximos às plantações.
72- Produz entre 20 e 40 quilos de mel por ha.
73- Sua produtividade aumenta com o consórcio com abelhas, já que a polinização de suas flores é cruzada.
74- Há um aumento de renda com a venda do mel.
75- Pode-se consorciar com carneiros
76- O mel de suas flores tem propriedades medicinais.
77- Seu albúmen contém amido e pode produzir álcool.
78- Suas folhas e galhos cortados servem de cobertura no solo.
79- Seus galhos e folhas depois de decompostos se transformam em matéria orgânica.
80- Seus galhos podados podem ser transformados em celulose.
81- Seus galhos triturados podem ser transformados em gás metano.
82- Seu óleo aplicado em pomares espanta a mosca da fruta.
83- Pode ser plantada em 90% do território brasileiro.
84- É uma planta que exige calor e pouca de umidade.
85- Sua seiva é remédio para feridas.
86- É uma planta heliófila (de pleno sol).
87- Não é uma planta invasora.
88- O diesel mineral é mais caro que seu óleo.
89- Serve para produzir energia.
90- A planta iniciará a era da agroenergia.
91- Pode ser plantada em consórcio com a pupunha.
92- Pode ser plantada em consórcio com a palmeira real.
93- Pode ser plantada em consórcio com o palmito jussara.
94- Pode ser feito consórcio com gado leiteiro.
95- Pode ser plantado no quintal de casa.
96- Um trabalhador cuida de 15 hectares.
97- Requer pouco investimento.
98- Pode ser plantada em consórcio com o Açaí.
99- É planta altiva e de porte elegante.
100- Finalmente, por que dá muito lucro!


OUTRAS OLEAGINOSAS - PRODUÇÃO P/ HECTARE (em KILOS DE SEMENTES)
Planta - Produção Mínimo Maximo
01-Dendê 3000 12000
02-Pinhão Manso 1800 8000
03-Coco 2100 2900
04-Abacate 2200 2800
05-Castanha do Pará 2000 2500
06-Macadamia 1920 2240
07-Jojoba 1640 2000
08-Noz Pecan 1430 1520
09-Mamona 740 1500
10-Carnaúba 1300 1450
11-Azeitona 1200 1400
12-Amendoim 900 1100
Planta - Produção Mínimo Maximo
13-Cacau 800 1000
14-Girassol 720 940
15-Arroz 700 900
16-Gergelim 600 800
17-Semente de Coentro 530 570
18-Semente de Abóbora 500 600
19-Café 450 500
20-Soja 440 1300
21-Palma 300 400
22-Caroço de Algodão 280 340
23-Castanha de Caju 170 220
24-Milho 170 200


PLANTAÇÃO DE PINHÃO MANSO

PLANTA E SEMENTES DE PINHÃO MANSO

..a terra, pois, produziu relva, ervas que davam sementes segundo as suas espécies, e árvores que davam fruto que tinha em si a sua semente segundo as suas espécies e viu Deus que isso era bom. Genesis-1.1
Já recebemos através da Associação Brasileira de Plantadores de Pinhão Manso -ABPPM- solicitação de uma empresa do Japão ( clique aqui e veja copias dos e-mail's ) para fornecimento de 5.000 a 20.000 toneladas mensais de óleo bruto de pinhão manso para entrega imediata e com contrato de no mínimo para três anos de fornecimento o que equivale a 720.000 toneladas no período e tambem contatos da Espanha de investidores que pretendem investir muito capital no Brasil na produção de óleo de pinhão. Estamos definindo projetos para captação de CRÉDITOS DE CARBONO, porque existem hoje cerca de 50 Bilhões de dólares a serem distribuídos pelo Protocolo de Kioto através dos paises desenvolvidos e que produzem muita poluição.
.Clique aqui para solicitar a suas sementes

SOB PRESSÃO, GOVERNO LEGALIZA PLANTIO DO PINHÃO-MANSO

(Valor) A explosão do plantio de soja transgênica no fim dos anos 90 forçou o governo legalizar o seu plantio. Agora o mesmo acontece com o pinhão-manso. Pressionado por produtores e usineiros, o governo vai alterar a legislação para que a produção comercial de sementes e mudas seja legalizada.

A Lei nº 10.711/03, estabelece que somente variedades de plantas inscritas no Registro Nacional de Cultivares podem ser produzidas em escala comercial. No caso da soja, por exemplo, há mais de 400 variedades inscritas. Como o pinhão-manso não era utilizado para produção comercial, ainda não tinha o registro e, por isso, há cerca de 45 dias, uma carga de 10 toneladas foi apreendida no Mato Grosso. "Isso motivou os produtores a pedirem uma solução ao governo, que afinal é o que mais defende o plantio do pinhão-manso para biodiesel", afirma Mike Lu, presidente da recém-criada Associação Brasileira dos Produtores de Pinhão-Manso (ABPPM).

Sob pressão política, o Ministério da Agricultura aceitou inscrever a planta no Registro Nacional de Cultivares, mesmo sem estudos sobre a origem genética da cultura. No entanto, o pinhão foi inscrito como espécie, e não como variedade ou cultivar. A produção ficará condicionada à assinatura de um termo de compromisso entre produtores e processadores e depende do crivo da Consultoria Jurídica do Ministério da Agricultura.

"O problema é que não existem estudos sobre o pinhão-manso no Brasil. Hoje não sabemos sequer quais são as variedades disponíveis", afirma Marcos Drummond, pesquisador da Embrapa Semi-Árido. Segundo ele, estudos internacionais afirmam que a planta pode produzir 8 mil quilos por hectare, mas estudos feitos pela Embrapa apontam uma produtividade média de 1,1 mil quilos por hectare com irrigação. "Houve muita pressão pelo governo para que a Embrapa desse aval ao plantio, mas o que podemos dizer até agora é que a planta tem potencial, mas ainda falta saber qual a melhor variedade e a melhor maneira de cultivá-lo", diz Drummond.

Álvaro Nunes Viana, diretor de Fiscalização de Insumos Agrícolas do ministério, pondera que o artigo 47 da Lei de Sementes permite a inscrição como espécie. "Há limitações ao plantio. Não tem um sistema, a maturação não é uniforme e há risco de disseminação de pragas e doenças. Não podemos ficar omissos, em nome do interesse público, e também não podemos endossar totalmente".

O acordo político patrocinado pelo ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, prevê um plano de monitoramento para garantir critérios de cultivo. "A Embrapa e a Epamig vão aproveitar para obter dados para o sistema de cultivo", diz Viana. "Temos que alertar para os riscos de um fracasso", afirma.

De acordo com a ABPPM, enquanto o quilo de soja (que rende 200 ml de óleo) é vendida a R$ 0,67 em média, o quilo da semente de pinhão-manso custa R$ 0,30 e gera em torno de 400 ml de óleo bruto. Conforme dados da Embrapa, a área plantada com pinhão-manso no país saltou de 500 hectares em 2006 para 20 mil neste ano. E a previsão é aumentar para 50 mil hectares no próximo ano, o que exigiria uma produção adicional de 300 toneladas de sementes.


www.plantebiodiesel.com.br

Pesquisa avalia qualidade forrageira de pinhão manso

Data: 15/05/2007
Fonte: EMBRAPA


Plantio consorciado com capim buffel

Análises de folhas de pinhão manso cultivados em condições irrigadas e em sequeiro encontraram valores de proteína bruta ao redor de 14,5% e disgestibilidade de 55%. Estes índices são próximos aos encontrados em plantas de média e boa qualidade forrageira. Os testes foram realizados no Laboratório de Nutrição Animal da Embrapa Semi-Árido (Petrolina-PE), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
Os pesquisadores da Embrapa, que já estudam as propriedades oleaginosas da espécie e o sistema produtivo adequado à introdução da planta no programa brasileiro de biocombustíveis, avaliam qualidades forrageiras para viabilizar sua introdução pelos agricultores familiares do Semi-árido. "Se viabilizarmos estas duas aptidões do pinhão manso damos um passo importante para consolidar uma alternativa econômica sustentável para os pequenos agricultores da região", afirma o pesquisador José Barbosa dos Anjos, da Embrapa Semi-Árido.
Domesticação – Apesar dos resultados animadores, o pinhão manso ainda carece de informações agronômicas consistentes para o seu cultivo em escala comercial. Em todo o planeta, a espécie está em vias de domesticação. Dados sobre produtividade, manejo de pragas e doenças, podas e espaçamento entre plantas, praticamente não existem na literatura técnico-científica. Por isto, ainda não é recomendado o seu uso forrageiro: a planta apresenta princípios tóxicos que ainda não foram dosados em condições brasileiras. Eles vão ser os próximos alvos de estudos, explica o pesquisador Luiz Gustavo Ribeiro Pereira.
No ensaio piloto conduzido no Laboratório de Nutrição Animal com ovinos foi constatado que, em conseqüência da elevada acidez no látex (pH variando entre 2,0 e 3,0), as folhas verdes de pinhão manso não são ingeridas pelos animais. Contudo, quando processadas e submetidas ao processo de secagem ao sol (fenação), os animais consumiram sem dificuldade. No entanto, Luiz Gustavo aponta a necessidade de estudos mais aprofundados e detalhados para avaliação de consumo, desempenho, digestibilidade e impactos no metabolismo e saúde dos animais. Em outros países, já foram identificados na planta do pinhão manso a presença de fatores cancerígenos, anti-tripicínicos, alergênicos, e tóxicos (curcina).
Diversificação – Tão importante quanto a necessidade de pesquisas, José Barbosa dos Anjos considera fundamental estabelecer uma estratégia de exploração para o pinhão manso. Nas áreas de sequeiro do Semi-árido, o cultivo comercial de pinhão manso precisa ser estimulado não como monocultivo, mas alternativa para ampliar a diversificação dos seus sistemas agrícolas.
A continuar os bons resultados alcançados pelas pesquisas até o momento, Barbosa considera a possibilidade do plantio consorciado com capim buffel. Na área semi-árida do Nordeste, existem cerca de 400 mil ha cultivados com este capim. Como os animais não consomem as folhas verdes do pinhão manso, este pode ser uma opção estratégica para plantio nas terras cultivadas com o buffel, defende Barbosa.
Mais pesquisas - O pinhão manso é encontrado em vários países sob as mais variadas condições ambientais. Algumas características já identificadas, como o longo ciclo produtivo, animam os pesquisadores a agilizarem os estudos que visam domesticar a planta. Em testes experimentais realizado no campo experimental da Embrapa, em Petrolina-PE, para avaliar o desempenho produtivo, o pesquisador Marcos Drumond colheu cerca de 1000 kg de sementes por hectare com irrigação semanal a partir do sexto mês de cultivo. "Sob plantio de sequeiro, a colheita foi de 250 kg de sementes por hectare. Embora sejam resultados do primeiro ano de plantio, estas quantidades mostram quanto é promissor o cultivo desta espécie oleaginosa", afirma.
Na Embrapa Semi-Árido são realizados estudos para eliminar toxicidade de tortas e farelos de pinhão manso, assim como da viabilidade de utilização por diferentes espécies animais (caprinos, ovinos e bovinos). Outro estudo em andamento é a exploração do pinhão manso (Jatropha curcas L) por meio de enxertia sobre plantas de pinhão bravo (Jatropha molissíma Muell Arg.), que vegetam espontaneamente em áreas degradadas da caatinga. A idéia, segundo José Barbosa, é aproveitar a resistência e rusticidade da espécie nativa visando oferecer uma alternativa de enriquecimento da vegetação natural, associado à produção de matéria-prima para produção de biodiesel.
Atualmente, pesquisadores da Embrapa Semi-Árido desenvolvem projetos relacionados ao pinhão manso em campos experimentais localizados no pólo Petrolina-PE, Juazeiro-BA e Nossa Senhora da Glória-SE, em condições de sequeiro e irrigação. Os testes também vão ser realizados em áreas de variadas condições de solo e clima dos estados de Pernambuco e Bahia. Marcos Drumond explica que as plantas mais produtivas no primeiro ensaio instalado foram selecionadas e estão sendo multiplicadas para cultivo em outros estados. Isto representa o primeiro passo para o melhoramento genético da espécie.
As pesquisas serão estendidas por meio de parcerias com outras instituições como a Prefeitura Municipal de Serra Talhada-PE, o Centro Federal de Educação Tecnológica de Senhor do Bonfim-BA, Empresa Pernambucana de Pesquisa Agropecuária – IPA. Áreas experimentais serão implantadas em conjunto com a empresa privada Indústria Brasileira de Resinas (IBR) nos municípios de Jacobina e Ourolândia, situados na região noroeste da Bahia, no extremo norte da Chapada Diamantina, a 330 quilômetros de Salvador-BA.
Marcelino Ribeiro
Embrapa Semi-Árido (Petrolina-PE)
E-mail: marcelrn@cpatsa.embrapa.br
Tel: (87) 3862 1711

2 comentários:

wilson_jovem disse...

Excelente a reportagem sobre PINHÃO MANSO. Acredito mesmo que sua produção possa atingir 8 (oito) mil quilos de bagas - com aplicação de muita tecnologia e, de tecnologia de ponta, incluindo irrigação, é claro, pois, adubar, plantar semente selecionada no SERTÃO sem garantir água, é o mesmo que “malhar em pedra mármore com marreta de cera”.. A minha experiência com o pinhão manso é daqueles plantios de no "monturo" para fabricação de sabão, isso faz muito tempo. Mesmo assim, plantas em monturo, que podemos considerar como solo riquíssimo em matéria orgânica, mesmo assim, não atingiria jamais uma produção bastante elevada, qual seja 8.000kg por/ha.
Sou filho de um pequeno agricultor que tinha presença de espírito muito forte. Quando alguém falava em criar porcos (suínos) lá no meu sertão - ele dizia categoricamente: "não acredito em criação de animais que come o que a gente come". Ele se referia do milho, alimento principal da criação suína.
Como filho de gato é gatinho, também não acredito em cultivares cujos subprodutos não sirvam de alimento para as cabras e ovelhas - principais companheiras na formação da renda dos nossos caboclos sertanejos. Quem quiser elogiar "mamona e pinhão manso" que elogie. Eu acredito em Moringa, Leucena, Gergelim (que além de sua produção granífera e oléica, controla as formigas sem precisar de aplicação de formicida) etc. O que me revolta é a rainha das leguminosas, A LEUCENA, não aparecer na lista das oleaginosas onde já foi considerada como a "SOJA PERENE DO NORDESTE". A LEUCENA e a MORINGA - tenham certeza - podem mudar a vida dos criadores de cabras e ovelhas desse "sertão de meu deus" e produzir material para o biodiesel. E, acima de tudo, tornar o nosso mini-produtor em homem que produz, e não um agregado do “bolsa família” para o resto da vida.

descontaço disse...

Antonio Junior- estou montando uma mini usina de biodisel, e inicialmente trabelharei com oleo usado, mais ja estou a procura de pequenos produtores rurais para o plantio de pinhão manso para estabelecer uma empresa social e ecologicamente correta que que gere renda para os pequenos produtores e uma empresa que gera credito de carbono ajudando a melhorar a qualidade do nosso ar.
preciso saber se é possivel vcs me enviarem esse quite a respeito do pinhão manso.
desde ja grato.
Antonio